PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO

PLANEJAMENTO SUCESSÓRIO: muitas pessoas tem um certo receio ou precaução ao falar sobre esse assunto, pois o tema “falecimento” é um tanto delicado. Mas garantimos a vocês que esse é justamente o momento ideal para conversarmos sobre o assunto: enquanto todos estão vivos, gozando de boa saúde e sem ânimos exaltados, como costuma acontecer quando se fala em divisão de patrimônio. Mas afinal para que serve o planejamento sucessório? O objetivo é já fazer em vida a distribuição dos bens aos herdeiros, garantindo ao titular do patrimônio, o controle e a colheita de frutos de seu patrimônio em vida, objetivando, também, a menor carga tributária na operação, em especial o ganho de capital, ITCMD, ITBI e IR. Ocorre que ao falecer o detentor da herança, os herdeiros e até mesmo o cônjuge sobrevivente apesar de terem bens, não possuem disponibilidade financeira imediata para custear o inventário, que poderá demorar quando judicial, podendo ocorrer o desentendimento entre os herdeiros, podendo ocorrer a má gestão dos bens e até mesmo o seu perecimento. Dessa forma, fazer o planejamento sucessório, com acompanhamento e assessoramento jurídico adequados, serve para proteger seu patrimônio, distribuir os bens de forma que melhor atenda aos interesses da família, visando a preservação dos bens e do patrimônio como um todo, dos frutos advindos, bem como uma menor carga tributária na transferência desses bens, podendo nem haver necessidade de abertura de inventário.

Veja outros artigos

MEU BEM MEUS BENS

Aquele patrimônio que você constituiu enquanto namorava, o bem adquirido exclusivamente por um dos ex-cônjuges durante o namoro, não será partilhado em eventual divórcio. Assim

Ver mais >>

Desenvolvido por Factum comunicação

                 © Souza Freitas & Mattoso Advocacia. Todos os direitos reservados 2020